Aumento do tempo da garantia de veículos atrai clientes

A “sobra” da garantia de veículos valoriza a revenda 

Veículos com garantia

Veículos com mais tempo da garantia atraem mais clientes

 

 

 

 

 

Escolher um carro pelo tempo de garantia, por quê não? Agora, é um dos benefícios que pesam na decisão, tendo em vista que algumas marcas oferecem 5 ou 6 anos sem limite de quilometragem, como é o caso da Hyundai e da JAC, respectivamente.

Quem oferece ainda os 12 meses de garantia total tem que ficar de olho na concorrência.

Mas é preciso se lembrar de que a garantia de veículos é válida desde que o proprietário faça suas revisões em dia, o que se estende também para todos os reparos necessários: falha de material, montagem ou de fabricação. Todos os consertos feitos dentro do prazo de garantia deverão utilizar peças originais e ser inteiramente gratuitos; o fornecedor só pode cobrar pelo frete. A garantia só começa a contar a partir da entrega do produto ou da finalização do serviço

Existem, basicamente, três tipos de garantia de veículos. A Garantia Legal, estabelecida pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), é obrigatória e não pode ser modificada nem restringida pelo contrato. Abrange todos os itens de composição do bem e, nos bens duráveis como um veículo, é de 90 dias. A Garantia Contratual, dada pelo fabricante após o prazo de garantia legal. Aqui, o fornecedor pode fazer algum tipo de restrição ou condicionamento para utilização da garantia como, por exemplo, fazer revisão do carro periodicamente em uma autorizada. E a Garantia de veículos estendida, um aumento da garantia contratual, onde costuma-se pagar um valor a mais para o fornecedor. Independente do contrato, deve-se exigir por escrito o termo de garantia com todas as informações detalhadas. É importante destacar que as garantias legal e contratual se complementam; a contratual não anula a legal.

Em se tratando de garantia de veículos legal, a lei faz distinção entre dois tipos de defeitos. Os chamados vícios aparentes, que são os problemas mais superficiais e fáceis de constatar e são garantidos até três meses após a entrega do produto/finalização do serviço; e os vícios ocultos, defeitos mais difíceis de perceber e que geralmente só surgem após certo tempo de uso. Se assim for, o prazo de garantia só começa a contar no momento da constatação do defeito, mesmo que o veículo circule há anos. Essa condição garante, na prática, que falhas de fabricação menos óbvias possam ser reparadas a qualquer momento. Contudo, às vezes, é preciso um laudo técnico atestando que o defeito realmente é de fábrica.

Aí vem a dor de cabeça. Nem sempre é fácil conseguir uma reparação. Inúmeras queixas já foram registradas no Procon e em sites de reclamação sobre o não cumprimento das lojas ou concessionárias da obrigação garantida em contrato. E o CDC é claro: se o produto estiver na garantia e houver um problema de defeito de fabricação (não pode ser uma avaria causada pelo proprietário), a empresa responsável pelo produto tem um prazo de 30 dias para solucionar o problema ou, então, deverá dar um produto novo ou devolver o dinheiro.

 

Garantia valoriza o carro

Isso vale tanto para carros novos ou usados. A “sobra” de garantia de veículos de fábrica – quando o carro é revendido dentro do prazo dela – valoriza de 5% a 10% o seminovo, de acordo com a Associação dos Revendedores de Veículos de São Paulo (Assovesp). Na revenda, é possível conseguir um cliente mais exigente e que não se incomoda em pagar um pouco mais por tal segurança.

Um seminovo que poderia ter garantia, mas não tem mais, perderá dinheiro na revenda. Se por algum motivo o carro perdeu a garantia, a avaliação cai muito. Além disso, não fazer as revisões previstas no manual anula o benefício.

No entanto, a valorização pela “sobra” de garantia de veículos depende do modelo e da marca. Na avaliação de um usado, o estado geral ainda é o principal fator. Não adianta ter garantia e estar batido. O negócio em lojas menores, ou do proprietário diretamente com o interessado, costuma valorizar mais o benefício do que quando feito nas grandes concessionárias.

O manual do proprietário, com o carimbo das revisões realizadas na concessionária, serve como prova de que o carro ainda está na garantia e indica cuidado na manutenção. Mais garantido ainda é consultar a validade da garantia diretamente com o fabricante. Para usados sem a cobertura de fábrica, a lei obriga ao vendedor oferecer garantia total de três meses.

A garantia de veículos sempre é uma vantagem na hora da venda e pode subir o preço para o consumidor final. O mesmo argumento será útil na hora de passar o carro adiante. Então, é lucrativo para os dois lados.

Veículos com garantia estendida

Montadoras como a JAC Motors e GM oferecem garantia estendida

Leia também:

Financiamento: CDC Fechado ou CDC Aberto?

Entenda a TABELA FIPE

Intendente Auto Shopping – A estrada que já foi referência automotiva.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: